segunda-feira, 14 de abril de 2008

Questão de Semãntica

Fui passar o fim de semana lá pras bandas de Copacabana na casa de minha tia.
De um lado,a igreja:Verde claro nas paredes ,pastor com semblante sereno,ambiente tranquilo e pacífico.
Às 20 h,na Avenida Prado Junior,senhoras ainda passeiam com seus poodles.Alguns metros adiante,é como se entrássemos em outro universo.Música alta ,mulheres seminuas.Revistas eróticas nas bancas vendem aos turistas a idéia de que o carnaval dura o ano inteiro.
Nas ruas ,as prostituta contam suas histórias .Parece uma sentença.Não há o glamour dos livros de Bruna Surfistinha,ex-garota de programa de classe média.Na pista o enredo é pesado:família pobre,filho para criar sozinha,mãe doente.Orla de Copacabana transbordando dinheiro.
Italianos e angolanos são os mais respeitadores,diz uma linda mulata com quem puxei conversa.Na Av.Atlântica ela fatura R$3 mil por mês e o filho estuda francês.Ao falar do filho o olho brilha.Igual a qualquer mãe!
Despedi-me e me afastei desejando felicidade! Poderia ter até sido confundida com uma delas.Mas,não fui!E nem tive medo!
Dormi pensando como a vida é diversificada !Certo?Errado?Questão de semãntica!

7 comentários:

Rui Carlo disse...

Fui orientador de uma aluna, cujo tema foi "Mulheres de vida difícil", entrevistamos mais de 50 prostitutas, choramos com elas... seus dramas são enormes... não esqueço uma: "Sou puta, sim, já vendi e uso drogas... meu macho tá preso por roubo (começou a soluçar depois de uma pausa), mas quero que minha filha num seja vagabunda como eu, e que o Juniu num seja como o pai... por isso eles estudam..." e choramos os três juntos...
Certo? Errado? Semântica? Talvez o errado seja não darmos oportunidade para terem vida diferente e emprestarmos-lhes tantos estereótipos...
Vou cantar "Umas e outras" do Chico Buarque
PS: vc tb tava solitária no dia bo beijo? ah, eu aí... te convidaria prum beijo moreno-branquinho... eu gostaria de conhecer pessoalmente gente como vc, mas que conversasse mais comigo no msn,
bj

Adriano Caroso disse...

Querida Fabiana,

Muito obrigado pela sua visita e pelo comentário. É uma honra receber um comentário de alguém que escreve como você. Entrei pela primeira vez aqui mas li diversos textos e gostei muito de tudo que vi. Você escreve com consciência e equilíbrio. Tem um texto fluente, gostoso e opiniões muito sensatas. Com certeza vou te linkar e, como se diz aqui na Bahia, vou ficar freguês!

Valeu

Denis Barbosa Cacique disse...

Olá, Fabiani.
É interessantíssima a descrição (e a percepção) dos contrastes de onde vc esteve. Tbem é curiosa a sua decisão por não julgar!
Abraços
Denis

Rodrigo disse...

Olá,querida
Saudade de vc!!Quer dizer que já mudou para o Rio??Parabéns!
Quanto à sua metéria muito boa.
Creio que nestes locais chamados de submundo encontramos pessoas comuns,como a gente,que amam.sofrem e trabalham para lutam para que seus filhos tenham outra vida. Parabéns pelo post.
beijo.

Flávia & Kbça disse...

então. isso é muito complicado realmente... quando temos essas oportunidades, conhecemos a outra parte da história, não somente o glamour da "Bebel" ou da Bruna Surfistinha, que fantasiou em seu livro...

até.

Débora disse...

olá,amiga
Adorei a matéria...
Veja como diversas pessoas ,de diferentes níveis. convivem num mesmo espaço ,com vidas diferentes ,na maioria das vezes sem sequer saber da exist~encia um dos outros...Gostei muito!
bjs

Ricardo Rayol disse...

vida de puta não é mole.