quinta-feira, 9 de abril de 2009

Como sobreviver às crises


Sim,estamos passando por uma crise mundial e todos já sabemos disso.Mas o que eu tenho com isso?Será que uma pessoa comum como eu,que não tem poder sobre a economia,que não pode influir nas grandes decisões políticas,que não pode fazer nada para mudar o que está acontecendo,tem alguma coisa a ver com a crise?

Quando eu estava entrando na adolescência,uma idade cheia de dúvidas e chatices,meu pai faliu.Um mundo seguro,organizado e alegre que eu conhecia ruiu de um dia pro outro.O que me restou foi mudar a história dentro de mim-sua dimensão e seu significado-para alterar seus efeitos,que é o que interessa no fim.

Passar da infância para a adolescência ou desta para a maturidade,sair do colégio e entrar na faculdade,trocar de emprego,casar,ter um filho,todos esses momentos são de ruptura,de decisões ,de crises,enfim.Entretanto,se,por um lado ,não temos como fugir destas crises,por outro,aprendemos com elas, e,por isso amadurecemos e evoluimos.

Espero que cada um de nós atravessemos este período com coragem e que nada possa nos afetar muito.
Momentos ,Palavras apenas!

9 comentários:

Evandro Varella disse...

Que bom que voltou! Já era hora...
As crises assim como as dificuldades muitas vezes nos mostram a força que temos e não sabemos!!!
Lembre-se do surrado ditado: "Depois da tempestade, vem a bonança!"
Bjs

Nika disse...

Temos q encarar essas passagens para amadurecermos, senão, o que seria de nós???

Vanna disse...

Tb tenho esse sentimeno. Seja o q for, como for, se sobrevivemos em outras situações, temos q continuar a buscar outras formas d sobrevivência.
Bjs, Paz e Bem nesta Páscoa.

Noé disse...

Dor que doe de ror,
Vazio que vaza sem lio,
Crise que não há o que finalize.

De dia a gente se fia,
De noite sente o açoite,
Na madrugada se cança e descança.

A manhã vem sã,
No almoço engulo caroço,
Tardo, e sinto o fardo.

Anoitece e alguém se esquece,
Fúria vem e se alimenta, espúria,
Mal de doer, e se sentir moer.

Desligo lá no meu umbigo,
A mente não mais mente,
Refiro, só acompanho meu suspiro.

O que sem jeito parecia,
Com voz de má profecia,
Derrete no silencio em cio.

Brota como som silente,
Gosto sem gosto,
Reencontro sem confronto,
Ar de bem estar!











,

Noé disse...

Dor que dói de ror,
Vazio que vaza sem lio,
Crise que não há o que finalize.

De dia a gente se fia,
De noite sente o açoite,
Na madrugada se cansa e descansa.

A manhã vem sã,
No almoço engulo caroço,
Tardo, e sinto o fardo.

Anoitece e alguém se esquece,
Fúria vem, e se alimenta, espúria,
Mal de doer, e se sentir moer.

Desligo lá no meu umbigo,
A mente não mais mente,
Refiro, só acompanho meu suspiro.

O que sem jeito parecia,
Com voz de má profecia,
Derrete no silencio em cio.

Brota como som silente,
Gosto sem gosto,
Reencontro sem confronto,
Ar de bem estar!

Leandro Vitor disse...

É possível combater todo e qualquer tipo de crise com nossas experiências de vida!
Parabepns pelo incentivo.


Sobre meu programa de rádio, só ao vivo e pelo rádio mesmo hehe

EXAGERADO disse...

Oi,linda
Puxa,que saudades!!!
Então,a crise é inevitável!Mas,todo a evolução tem um preço...
Há crises que traz muito sofrimento,mas até estas passam!

Grande beijo,deusa!

Luciana disse...

Olá, Vênus! Quanto tempo... rs

Estou de blog novo, então vim deixar o convite pra você me visitar lá!

http://lucianaviagem.blogspot.com/

Beijos!

*Silvia Alencar* disse...

TENHA UMA PÁSCOA ABENÇOADA!!!
BEIJOCAS...