sábado, 16 de fevereiro de 2008

Novela das Oito



Lembra aquela vez que sentamos à beira- mar para tomar sorvete,trocar confidências e ver o céu magenta se encher de estrelas?
Pois é!

Repeti com outro!
(Adaptado de uma poesia de Flavimar Guilherme,do Livro da Tribo de 2004)

9 comentários:

BRUNO LEONARDO disse...

Oi,linda
Isso vai doer em alguém..ah,vai!
Mas,feliz por vc conseguir..rs

Bjs

Alisson disse...

Se os lugares que conhecemos na vida têm, obrigatoriamente, que ser revisitados, imagine os 'momentos'!

Débora disse...

Alò,amiga
Me conta isso direito!!rsrsrs
Ah..tomara que ele leia...rs
bjs

Ricardo Rayol disse...

ahahahahaha

eu, eu, eu alguém se deu mal.

Ulisses disse...

bons momentos são pra guardar na memória pra sempre... gostei do "céu magenta".

ANNE LOUISE disse...

Olá,querida

Lindo!!Mas,será que foi tão bom??Intuio que não.Se não vc nem mandaria o recado..nénão?
Bjs

R Lima disse...

A vida é mesmo de muitas buscas... E se isso a faz feliz.. fico Feliz por ti.

Bjs,




Texto de hoje: AmiZadE...

Visite e Comente... http://oavessodavida.blogspot.com/

O AveSSo dA ViDa - um blog onde os relatos são fictícios e, por vezes, bem reais...

Rui Carlo disse...

Gostei do que Anne Louise disse: "eu tenho que provar pra todo mundo, que não tenho que provar nada pra ninguém"... se meu passado pede explicações do que faço, ele ainda é presente... é tão presente que se quer justificar a ele o que estou fazendo no por do sol, é tão presente que tenho que feri-lo com essas agulhas que só as mulheres sabem enfiar... os homens detonam com canhão (ha ha ha ha)
Mas muito belo o recado: dói lembrar de você, mas tô indo em direção a outro(a)...
Bj

José Rodrigues (JR.) disse...

O tempo passa, levando a tudo e a todos; e mesmo se quisermos tentar segurar o seu movimento implacavel, apenas tentaremos, já sabendo de antemão de nosso fraco. Passam os dias, os meses, as estações; passam as palavras ditas, as roupas compradas, os papos furados, as dores de cabeça; mas passa também o amor e as pessoas que amamos; tudo passa, como se escorresse por entre nossos dedos e, sequer, podemos segurar estas aguas da vida, melhor assim, poderemos navegar em outros mares...
se der, faça uma visita em meu blog de poesias (experimentando Versos):

http://experimentandoversos.blogspot.com

um abraço, JR